Caso Catharina: vítima de importunação por PM relata trauma

Publicado em 14 de junho de 2024

Em setembro do ano passado, a universitária Catharina Kethellen da Silva Palmerin, à época com 24 anos, passou por um dos maiores dramas da vida dela.

Na espera de um ônibus na travessa Barão de Igarapé-Miri, no bairro do Guamá, em Belém, a jovem foi vítima de importunação sexual por um homem que começou a se masturbar na frente dela. Ela chegou a ser arrastada por ele para ser violentada e ao entrar em luta corporal para se defender, covardemente levou um tiro no abdômen.

 Para deixar as coisas ainda mais absurdas, o abusador era um sargento da Polícia Militar (PM), identificado como Arthur dos Santos Júnior. De agente de segurança pública que visa proteger os cidadãos, inclusive, as mulheres de criminosos abusadores sexuais, o policial virou um criminoso. À época, ele tentou fugir, mas foi encontrado e indiciado por tentativa de homicídio qualificado.

Conteúdo Relacionado

Polícia Civil vai investigar caso de estudante baleada

Nove meses depois, apesar de ter apresentado melhorias físicas, Catharina, em entrevista para a RBATV nesta sexta-feira (14), disse que a situação por qual passou ainda lhe aflige emocionalmente a ponto de se submeter a tratamento psicológico para ajudar a superar o trauma.

Veja a entrevista completa:




Faixa atual

Título

Artista

AO VIVO!

Bom Dia Alegria

08:00 11:00

AO VIVO!

Bom Dia Alegria

08:00 11:00